EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Duterte quer matar três milhões de toxicodependentes

Duterte quer matar três milhões de toxicodependentes
Direitos de autor 
De  Euronews com Reuters
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O chefe de Estado filipino não esconde a admiração por Hitler e assume que gostava de matar três milhões de toxicodependentes.

PUBLICIDADE

O chefe de Estado filipino não esconde a admiração por Hitler e assume que gostava de matar três milhões de toxicodependentes.

As declarações foram proferidas após uma viagem oficial de dois dias ao Vietname.

“Hitler massacrou três milhões de judeus. Agora, aqui há três milhões de viciados. Gostaria de matá-los a todos. Se a Alemanha tinha Hitler, as Filipinas terão as minhas vítimas. Gostaria que fossem todos os criminosos para que os problemas do meu país desaparecessem e fosse possível salvar a próxima geração da perdição” refere Rodrigo Duterte.

Imagens como estas tornaram-se frequentes nas Filipinas após a tomada de posse do novo Presidente, a 30 de junho. Na altura, Duterte prometeu erradicar as drogas do país e as execuções de alegados traficantes e toxicodependentes dispararam.

Dentro e fora do país, são muitos os que criticam e apelam ao fim da onda de violência no país.

“Estamos aqui para dizer que esta questão é importante e que estas vidas são importantes. Mais de duas mil pessoas foram mortas em execuções extrajudiciais e o que está a acontecer neste país não segue a via legal” afirma estudante universitária filipina, Nica Domique Ondoy.

Os números dados oficiais revelam que mais de 3.500 pessoas foram mortas, desde finais de junho, às mãos da polícia ou dos chamados “vigilantes.”

A controversa campanha conta, no entanto, com o apoio de muitos filipinos.

Phillipines' boxing icon Pacquiao used drugs as a teen but backs Duterte https://t.co/YJM8r7nCB7

— Reuters Top News (@Reuters) September 29, 2016

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Zelenskyy faz visita inesperada às Filipinas para promover Cimeira de Paz

Onda de calor obriga milhões de pessoas a ficar em casa

O mundo celebrou a Páscoa