EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Furacão Matthew atingiu Cuba

Furacão Matthew atingiu Cuba
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As ilhas caribenhas estão sob a ameaça do mais intenso furacão dos últimos dez anos e que já fez 7 mortos.

PUBLICIDADE

O furacão Matthew, de categoria 4, chegou a Cuba no seu percurso previsto até à Florida, Carolina do Sul e partes da Carolina do Norte, onde foram declarados o estado de emergência. Na Carolina do Sul, segundo a governadora Nikki Haley, mais de um milhão de pessoas na zona costeira será deslocada enquanto medida de segurança.

Category 4 #HurricaneMatthew appears to be making its second landfall of the day in extreme eastern #Cuba packing winds of 140mph. pic.twitter.com/lrz6CDT0jd

— Mike Thomas (@MikeTFox5) 5 octobre 2016

A ilha cubana foi atingida a sul, na zona de Guantánamo, com chuvas fortes e ventos de alta intensidade.
As autoridades cubanas haviam pedido a cerca de 300 mil pessoas que saíssem de suas casas como precaução. Cerca de 770 mulheres de militares americanos e os filhos foram retirados por via aérea da base americana.

O olho do furacão tem agora um diâmetro de 28 quilómetros e a progressão prevista é que se dirija às Bahamas nas próximas 24 horas e daí siga para a Florida, onde as autoridades estão em alerta.

O maior furacão do Atlântico na última década fez 3 mortos na sua passagem pelo Haiti e 4 na República Dominicana, 3 dos quais na capital, Santo Domingo, onde os estragos foram avultados, provocados pelos ventos de mais de 230 quilómetros por hora.

L'alerte rouge n'est pas respectée à Delmas. Cette famille a décidé de chanter les funérailles de leur proche malgré tout #MatthewHaitipic.twitter.com/gIjvm2tSjb

— Ayibopost (@Ayibopost) 4 octobre 2016

No Haiti, onde muita da população vive na zona costeira em habitações de madeira e metal, sem possibilidades de suportar a intensidade dos ventos, os danos foram visíveis. As autoridades haitianas dizem que cerca de 1 300 abrigos de emergência foram construídos, o suficiente para albergar 340 mil pessoas.

O maior perigo agora são as inundações que podem ser mortais e o deslizamento violento de lamas, numa paisagem onde as árvores cederam à pasagem da catástrofe natural.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Furacão Matthew já provocou dois mortos no Haiti

Furacão Matthew causa primeiras vítimas no Haiti e ameaça sul dos EUA

Europa de extremos: onda de calor na Turquia, incêndios em Chipre e inundações em Espanha