EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Furacão Matthew reduz para categoria 1 ao atingir EUA

Furacão Matthew reduz para categoria 1 ao atingir EUA
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O furacão Matthew atingiu este sábado as costas norte-americanas na Carolina do Sul, com ventos torrenciais mas com uma potência inferior à que deixou centenas de mortos no…

PUBLICIDADE

O furacão Matthew atingiu este sábado as costas norte-americanas na Carolina do Sul, com ventos torrenciais mas com uma potência inferior à que deixou centenas de mortos no Haiti.

A mais poderosa tempestade do Atlântico desde 2007 reduziu de intensidade para um furacão de categoria 1 à medida que atingiu terra, apesar de ter ainda provocado grandes inundações, cortes de eletricidade e importantes danos na Georgia e na Florida, onde pelo menos cinco mortes foram atribuídas à intempérie.

Ainda assim, a potência do Matthew está longe da categoria 5 registada há mais de uma semana.

Na parte sudeste dos Estados Unidos, perto de um milhão e seiscentas mil residências e negócios encontram-se sem energia elétrica.

Na região de Florida Keys, poupada dos efeitos do furacão, residentes mobilizaram esforços com as autoridades locais para organizar o envio de ajuda para as Bahamas.

Chuck Lindsey, responsável da Cidade de Marathon, explica que “em menos de 24 horas, juntaram-se mais de 25.000 garrafas de água, comida e todo o tipo de coisas para enviar para as Bahamas (…) para ajudar após a passagem do Matthew”.

O noroeste do arquipélago, apenas a 290 quilómetros a sudeste da Florida, foi atingido em cheio pelos efeitos do furacão na passada quinta-feira, com ventos da ordem dos 220 quilómetros por hora, com a tempestade a passar a escassos 40 quilómetros da capital das Bahamas, Nassau.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Furacão Matthew: Sobe para 900 o número de vítimas mortais no Haiti

Biden apoia o filho após condenação, mesmo sem indulto. "Estamos orgulhosos do homem que ele é hoje"

Biden chama nações "xenófobas" à Índia e Japão