Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Grécia: Credores desembolsam 1100 milhões de euros

Grécia: Credores desembolsam 1100 milhões de euros
Tamanho do texto Aa Aa

Os ministros das Finanças da União Europeia aprovaram o desembolso de 1100 milhões de euros do programa de resgate da Grécia numa reunião, esta segunda-feira, no Luxemburgo.

Em análise está, também, a intenção do Fundo Monetário Internacional de deixar de ser um dos futuros financiadores da Grécia e a sua tese de que haja uma reestruturação da dívida.

Sobre o desembolso da verba, o ministro francês, Michel Sapin, disse que “a Grécia está a cumprir os seus compromissos e, quando um país cumpre, a solidariedade europeia é-lhe transmitida”.

Esta verba será entregue em outubro, sendo que o restante dos 2,8 mil milhões da tranche em causa será entregue, provavelmente, em dezembro.

Do governo grego esperam-se medidas na área da energia, luta contra a corrupção, governação bancária e impostos.

Sobre a questão do FMI, o comissário europeu para os assuntos Económicos e Financeiros, Pierre Moscovici, disse que “o FMI pode ter suas próprias exigências”.

“Quer, nomeadamente, que a questão da dívida seja discutida de forma a aliviar significativamente o seu fardo. Pode-se fazer um debate sobre isso com nossos amigos alemães”, acrescentou.

O governo de Berlim está contra as propostas do FMI sobre a Grécia, que custariam grandes somas ao erário alemão e seriam muito criticadas pelos cidadãos à porta de eleições legislativas.

A economia grega sofre de uma profunda recessão face aos cortes orçamentais, aumento da carga tributária, controlos de capital e falta de investimento.