EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

EUA: As apostas do último debate da campanha eleitoral

EUA: As apostas do último debate da campanha eleitoral
Direitos de autor 
De  Dulce Dias com Reuters
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A aposta mais fantasiosa é a que prevê que Trump nem sequer vai aparecer para o debate: um dólar apostado, 25 ganhos. A resposta... esta noite!

PUBLICIDADE

Las Vegas prepara-se para o terceiro e último debate da campanha eleitoral norte-americana. E os apostadores também! Embora as apostas sobre eleições sejam proibidas no Nevada – e nos Estados Unidos, em geral -, a internet não tem fronteiras e os americanos apostam.

Donald Trump and Hilary Clinton go head to head in their final live TV debate – in Las Vegas tonight #USElections#CapitalReportspic.twitter.com/Q66Al9Anf1

— Capital S Coast News (@CapitalSCNews) October 19, 2016

Para Ben Eckstein, probabilista do site de apostas AmericasLine, a crer nas probabilidades, Hillary Clinton é favorita:

“Para já, temos as probabilidades para Hillary Clinton a 1 para 5: aposte cinco dólares, só recebe um. Neste momento, Donald Trump está a 9 para 2. Ou seja, se apostar dois dólares, ganha nove.”

Nas ruas de Las Vegas, os eleitores não parecem deixar-se influenciar-se nem por probabilidades nem pelo último debate. Muitos já decidiram – e o resto é espetáculo, como se deprrende do comentário de Oliver Jones, que diz que vai votar em Gary Johnson, um candidato libertário:

“Gostava de saber quantos ensaios fazem antes do debate. Cá para mim, parece-me um ‘reality show’.”

“Com tudo o que tem saído do WikiLeakes, as pessoas vão ter de decidir-se pela sua própria cabeça e não pelo debate”, defende Jan Dilly, que diz que não vai votar em Hillary Clinton.

A aposta mais fantasiosa é a que prevê que Trump nem sequer vá aparecer para o debate: um dólar apostado, 25 ganhos. A resposta… esta noite!

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Obama pede a Trump que páre de "choramingar"

EUA: Trump sem espaço para subir nas sondagens

Melania Trump perdoou palavras "insultuosas" de 2005 do candidato republicano