Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Equipa de Trump nega processo de transição "complicado"

Equipa de Trump nega processo de transição "complicado"
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

À falta de anúncios oficiais, multiplicam-se as especulações acerca da equipa que constituirá a futura administração de Donald Trump.

Os próximos do presidente eleito dos Estados Unidos negam que o processo de transição esteja a ser “complicado”, como afirmam vários meios de comunicação norte-americanos.

A diretora de campanha de Trump, Kellyanne Conway, diz que “ele está a formar o governo federal, a receber conselheiros e possíveis candidatos para os diferentes postos. Está tudo a correr bastante bem”. Conway diz que “é preciso ignorar as teorias de conspiração e manter uma comunicação aberta. Ele está aqui, [em Nova Iorque], a fazer o trabalho de presidente eleito”.

Entre os possíveis nomes avançados nas últimas horas, encontra-se o do vice-governador da Carolina do Sul, Henry McMaster, para o posto de Procurador Geral. A governadora do mesmo Estado, Nikki Haley, surge como possível responsável da diplomacia, embora a maioria continue a achar que o cargo cairá nas mãos do ex-presidente da Câmara de Nova Iorque, Rudolph Giuliani.

O presidente executivo da JP Morgan, Jamie Dimon, é o mais recente nome “baralhado” para o posto de secretário do Tesouro, de acordo com uma própria fonte na equipa de transição de Trump.

Os únicos nomes confirmados oficialmente são o do polémico Steve Bannon, como chefe estratega, e o do presidente do Comité Nacional Republicano, Reince Priebus, como chefe de gabinete.