EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Malásia não entrega corpo de irmão de Kim Jong-un

Malásia não entrega corpo de irmão de Kim Jong-un
Direitos de autor 
De  Ricardo Figueira
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O país não entrega o corpo à Coreia do Norte antes de haver autópsia. Foi detida uma das assassinas.

PUBLICIDADE

As autoridades da Malásia vão autopsiar o corpo de Kim Jong-nam, o meio-irmão do líder notrte-coreano Kim Jong-un, isto apesar dos protestos da Coreia do Norte, que querem que a Malásia entregue imediatamente o corpo.

Kim Jong-nam foi assassinado na terça-feira no aeroporto de Kuala Lumpur, quando duas mulheres o envenenaram com um spray. Morreu a caminho do hospital.

Entretanto, a polícia da Malásia deteve uma das alegadas assassinas de Kim Jong-nam, uma vietnamita, a acreditar no passaporte que transportava.

Kim Jong-nam, filho mais velho de Kim Jong-il e da primeira mulher, era visto como o sucessor natural, mas afastou-se e acabou por se exilar na China. Em 2001, causou um embaraço diplomático ao tentar entrar ilegalmente no Japão. As autoridades temem agora pela vida do filho, Kim Han-sol, que estuda em França. Kim Jong-nam tornou-se crítico do regime do pai (e, mais tarde, do irmão) e escreveu um livro a denunciá-lo em 2012.

Esta é mais uma morte que se junta a uma longa série de assassínios e execuções de críticos do regime, incluindo outros membros da família Kim.

Imperturbável, Kim Jong-un presidiu a uma mega-cerimónia para celebrar os 75 anos do nascimento do pai, Kim Jong-il.

Six other North Koreans who ran afoul of Kim Jong-un, and what became of them. https://t.co/6y4VzyTr7kpic.twitter.com/rInu58YwYp

— New York Times World (@nytimesworld) February 15, 2017

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Cidade fronteiriça da Coreia do Sul e partes de Seul atingidas por fortes chuvas

Coreia do Sul quer que Rússia cesse de imediato acordo com Coreia do Norte

Putin pode mudar a doutrina de armas nucleares da Rússia