Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

EUA apoiam retoma de negociações em Genebra e "solução política" para conflito sírio

EUA apoiam retoma de negociações em Genebra e "solução política" para conflito sírio
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A nova administração norte-americana sai do silêncio sobre o tema da Síria, ao apoiar a retoma das negociações de paz em Genebra, com vista a uma solução política para o conflito.

O novo Secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson somou-se ao consenso dos responsáveis diplomáticos reunidos durante dois dias à margem da cimeira do G20 em Bona.

Segundo o ministro dos Negócios Estrangeiros alemão, Sigmar Gabriel:

“Precisamos de retomar as discussões. Este é hoje o nosso principal objetivo, mas o caminho ainda é longo, mas estamos todos de acordo neste ponto, em especial as caras novas sentadas à mesa, como o nosso colega americano que se mostrou muito interessado no tema. Penso que alcançámos uma boa preparação para Genebra”.

O entendimento ocorre antes do início da Conferência de Segurança em Munique, onde o tema vai ser discutido com a Rússia, aliada de Damasco.

Os responsáveis da diplomacia francesa e alemã apelaram a Moscovo para que desempenhe um “papel construtivo” junto de Bashar Al-Assad, sem evocarem o futuro do atual presidente.

A retoma das negociações em Genebra está agendada para dia 23 de fevereiro, depois das negociações paralelas levadas a cabo pela Rússia não terem permitido chegar a qualquer acordo entre governo e oposição sírias.

Moscovo tinha anunciado anteriormente que a nova administração norte-americana também estaria a apoiar as iniciativas da diplomacia russa.

A reunião do grupo dos chamados “amigos da Síria”, em Bona, terminou, no entanto, sem uma declaração oficial do novo Secretário de Estado norte-americano.

O encontro em Boa reuniu os responsáveis diplomáticos dos EUA, França, Alemanha, Itália, Reino Unido, Arábia Saudita, Egito, Emirados Árabes Unidos, Qatar, Jordânia e União Europeia.