EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Erdogan denuncia "práticas nazis" após anulação de comícios na Alemanha

Erdogan denuncia "práticas nazis" após anulação de comícios na Alemanha
Direitos de autor 
De  Rodrigo Barbosa com AFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O presidente turco comparou a “práticas nazis” a decisão de vários municípios alemães de proibirem a realização de comícios em apoio ao “sim” no referendo de abril para reforçar os poderes de Recep Ta

PUBLICIDADE

O presidente turco comparou a “práticas nazis” a decisão de vários municípios alemães de proibirem a realização de comícios em apoio ao “sim” no referendo de abril para reforçar os poderes de Recep Tayyip Erdogan.

Num evento de campanha em Istambul, o chefe de Estado turco afirmou que essas “práticas não são diferentes das dos nazis”, acrescentando que “pensava que a Alemanha tinha renunciado há muito [a essas práticas], mas parece que estava enganado. Dá lições de democracia, mas impede que os ministros deste país possam ir lá exprimir-se”.

Num outro comício, ao fim do dia de ontem, Erdogan dizia que “se quiser”, vai ele próprio “à Alemanha” defender as suas ideias.

Vários líderes europeus defenderam a proibição dos comícios nos seus territórios a favor do “sim” no referendo turco, entre os quais o chanceler austríaco. Christian Kern apelou a “uma resposta coletiva da União Europeia para impedir esses eventos de campanha”.

Apesar das interdições, que Berlim precisou serem da responsabilidade dos municípios e não do Estado federal, o ministro turco da Economia participou este domingo num comício da diáspora turca em Leverkusen. A Alemanha é casa para um milhão e meio de eleitores turcos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Líderes dos rivais regionais Grécia e Turquia reúnem-se para estreitar relações

Vitória da oposição é sinal de "ingratidão", dizem apoiantes de Erdoğan na Turquia

Urnas já abriram na Turquia para as autárquicas, partido de Erdogan quer recuperar Istambul