EventsEventosPodcast
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Rali Dakar volta ao Peru em 2018

Rali Dakar volta ao Peru em 2018
Direitos de autor 
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A 40.a edição da prova foi apresentada esta quarta-feira, em Paris, numa altura em que os peruanos se debatem com graves inundações no país.

PUBLICIDADE

Foi apresentada esta quarta-feira, em PAris, França, a 40.a edição do Rali Dakar, a décima a ser realizada na América do Sul. O tiro de partida está marcado para seis de janeiro de 2018 em Lima, no Peru, país onde a “caravana” já não passava há cinco anos.

Depois de cruzar a Bolívia, a meta irá surgir aos pilotos em Córdoba, na Argentina, onde está previsto chegarem a 20 de janeiro.

O diretor do Rali Dacar explicou-nos que “os seis dias de corrida no Peru incluem areia, dunas e travessias”.

VIDEO. #Dakar2018 : le Pérou en tête d’affiche. Dakar</a> <a href="https://t.co/NYdWrUmBBL">pic.twitter.com/NYdWrUmBBL</a></p>— francetv sport (francetvsport) 22 de março de 2017

“No altiplano boliviano, o clima pode surpreender e as especiais serão longas, com grandes trajetos de areia, nomeadamente em Orinoca e no sul de Uyuni, onde já tivemos etapas este ano. Segue-se o noroeste argentino com especiais mais rochosas e corta-matos onde há o risco de os pilotos se perderem e as condições do trajeto serão terríveis porque faz muito calor”, avisou Etienne Lavigne.

Este regresso ao Peru vai acontecer após um ano em que o país está a ser afetado por fortes chuvas e a sofrer inundações graves, um problema ambiental associado ao fenómeno climático El Niño e que já havia levado a organização a retirar, em 2013, o território peruano do mapa do Dakar.

Contento de que seamos protagonistas de una buena noticia, hoy #Perú muestra al mundo que pensamos en futuro a pesar de un presente tan duro https://t.co/ImH4RX9mUg

— Nicolás Fuchs (@fuchsrally) 22 de março de 2017

“Há cinco anos que não entramos no Peru, um país ao qual os participantes da nossa prova desejam regressar. Todos guardam boas recordações de etapas lá disputadas, tanto pela beleza desportiva, como paisagística”, assinalou Lavigne.

Na edição de janeiro deste ano, os vencedores foram o australiano Toby Price, nas motos (KTM) e Stephane Peterhansel, nos carros (Peugeot).

Sexto este ano, após uma polémica penalização que o impediu de terminar no segundo lugar, o “motard” português Paulo Gonçalves deverá voltar a apontar ao pódio das duas rodas.

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

It’s over! I’m happy for it! P6 Overall but we deserved more! #Dakar2017#speedygoncalves#HRC#Hondapic.twitter.com/RhirMjTND5

— Paulo Gonçalves (@GoncalvesSpeedy) 14 de janeiro de 2017

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Lewis Hamilton deixa Mercedes para se juntar à Ferrari em 2025

Verstappen vence nos EUA, Hamilton e Leclerc desclassificados

Carlos Sainz vence Grande Prémio de Singapura de Fórmula 1