Trump dá luz verde ao oleoduto Keystone XL da TransCanada

Trump dá luz verde ao oleoduto Keystone XL da TransCanada
De  Nelson Pereira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A admnistração Trump deu esta sexta-feira luz verde à canadiana TransCanada para a construção do oleoduto Keyston XL, um projeto que tinha sido congelado por Barack Obama pelo seu impacto…

PUBLICIDADE

A admnistração Trump deu esta sexta-feira luz verde à canadiana TransCanada para a construção do oleoduto Keyston XL, um projeto que tinha sido congelado por Barack Obama pelo seu impacto ambiental.

“É um grande dia para o emprego americano e um momento histórico para a América do Norte e para a independência energética”, afirmou Donald Trump, rodeado pelos principais responsáveis pelo projeto, na Sala Oval.

Barack Obama suspendeu em finais de 2015 o projecto, três semanas antes da cimeira da ONU do Clima de Paris (COP21), argumentando que transportar mais petróleo bruto pelo país não fortalece a segurança energética dos Estados Unidos.

830 mil barris diários

Com uma extensão de 1.900 quilómetros, dos quais 1.400 nos Estados Unidos e os restantes no Canadá, o Keystone XL deverá transportar cerca de 830 mil barris diários de petróleo bruto extraído das areias betuminosas de Alberta, no oeste do Canadá, para o Estado do Nebraska, no centro dos Estados Unidos. Ali, o Keystone XL ligará com oleodutos já existentes, enviando o petróleo para as refinarias americanas no golfo do México.

Antes de iniciar a construção, a TransCanada tem de obter o financiamento, conseguir licenças em Nebraska, Montana e Dakota do Sul, e vencer impedimentos legais. Donald Trump prometeu apoio ao presidente da operadora canadiana, Russell Girling.

“Temos trabalho a fazer em Nebraska para obtermos as licenças”, disse Girling esta sexta-feira. “Nebraska? Eu ligarei para Nebraska”, respondeu Trump.

Os ambientalistas alertam que as areias betaminosas de Alberta requerem uma extração que demanda muita energia e que produz um grande volume de gases de efeito estufa. O oleoduto tem sido igualmente contestado por grupos de nativos norte-americanos, que afirmam que o projeto profana os seus territórios ancestrais e ameaça as reservas de água potável.

Após assumir a presidência dos Estados Unidos em janeiro, Donald Trump assinou dois decretos de autorização condicional aos projetos dos oleodutos Keystone XL e Dakota Access, cumprindo duas promessas de campanha.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Agentes da autoridade mortos a tiro no Estado de Nova Iorque

Nova Iorque sacudida por terramoto de 4,8 na escala de Richter, o maior em mais de 40 anos

Israel vai abrir dois corredores de ajuda humanitária em Gaza após aviso dos EUA