A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Preços do petróleo disparam após ataque dos EUA na Síria

Preços do petróleo disparam após ataque dos EUA na Síria
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A reação dos mercados foi imediata. A cotação do petróleo disparou logo que foi avançada a informação sobre o ataque norte-americano na Síria. O crude negociado em Nova Iorque chegou a valorizar quase 2%. O Brent do Mar do Norte, referência para as importações nacionais, teve uma subida semelhante que foi sendo corrigida ao longo da manhã.

Entretanto os investidores, preocupados com a possível instabilidade internacional provocada por este ataque, voltaram-se para activos de refúgio como é o caso do ouro, fazendo subir mais de 1% o preço do metal.

O analista Oliver Roth explica que “Tendo em conta a questão dos ataques aéreos na Síria, as pessoas estão preocupadas com a credibilidade do presidente dos Estados Unidos. Ontem os Estados Unidos diziam que Assad era um “mal necessário”, agora dizem que é o diabo por causa das suspeitas de que terá lançado um ataque de gás contra o próprio povo. Neste momento há necessidade de alguma consistência e estabilidade política, coisas que não se vêm em Donald Trump. Daí o impacto no mercado de valores”.

O ataque norte-americano na Síria fez disparar a venda de ações num primeiro momento.
Os ganhos começaram a abrandar ao início da manhã e acabaram por entrar em queda ligeira. Só Moscovo regista uma descida mais acentuada, uma vez que se opôs de imediato à operação militar ordenada por Donald Trump. A praça russa já esteve a perder mais de 2,5%.