EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Roménia sob escrutínio da Comissão Europeia

Roménia sob escrutínio da Comissão Europeia
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Mecanismo para a Cooperação e Verificação está há dez anos a seguir as políticas romenas.

PUBLICIDADE

Dez anos após a entrada na União Europeia, a Roménia está ainda sob supervisão do Mecanismo para a Cooperação e Verificação (CVM, em Inglês).

Este mecanismo é aplicado a Estados Membros que falhem, aquando da adesão, a reunião de requisitos estabelecidos pela União Europeia nas áreas das políticas de liberdade, segurança e justiça ou de mercado interno.

O primeiro-ministro da Roménia, Sorin Grindeanu, declarou est aquinta-feira querer fechar o CVM antes da presidência romena do Conselho Europeu, em Janeiro de 2019. Agora falta a Comissão Europeia dizer que sim.

This thing, Europe, will not maintain itself. It needs to be maintained by its citizens, otherwise it will dissolve. #eudialogues#EUpic.twitter.com/3hc0K4CXsv

— Frans Timmermans (@TimmermansEU) 20 de abril de 2017

Frans Timmermans, primeiro vice-presidente da Comissão Europeia, parece concordar, ao afirmar em Bucareste: “Neste processo conjunto feito desde a adesão, dez anos de cooperação e verificação, atingimos tantos objectivos que estamos agora na recta final de uma longa maratona e o meu impulso, a minha vontade, é acabar esta maratona.”

Quatro relatórios positivos consecutivos por parte da Comissão Europeia deixam o primeiro ministro romeno à espera de que o último, a sair no final deste ano, permita afastar de vez o mecanismo para a cooperação e verificação da Roménia.

#Romania: The fight against corruption needs to be advanced, not undone. pic.twitter.com/pHydqEqABr

— European Commission (@EU_Commission) February 6, 2017

Os maiores desafios têm residido na área da Justiça

Em Fevereiro, a tentativa de aprovação de um decreto que descriminalizava a corrupção até ao valor de 44 mil euros gerou manifestações contra o governo em Bucareste. O decreto não foi aprovado.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Universitários protestam contra polémica reforma da Justiça romena

Centenas de magistrados romenos protestam contra a reforma da Justiça

Parlamento romeno aprova dois polémicos projetos de lei