EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Venezuela: Oposição acusa denuncia prisões arbitrárias

Venezuela: Oposição acusa denuncia prisões arbitrárias
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Leopoldo Lopez, um dos líderes da oposição que exige a demissão do presidente venezuelano Nicolas Maduro, está bem de saúde.

PUBLICIDADE

Leopoldo Lopez, um dos líderes da oposição que exige a demissão do presidente venezuelano Nicolas Maduro, está bem de saúde.

Quem o confirmou foi a mulher, Lilian Tintori, que conseguiu estar com o marido, pela primeira vez em 35 dias.

¡Leopoldo está resistiendo en la cárcel y nosotros en la calle! Mañana seguimos luchado contra la dictadura ¡Fuerza! pic.twitter.com/7vxVG4p9Ef

— Lilian Tintori (@liliantintori) May 8, 2017

A visita ocorreu depois de a família de Lopez ter duvidado da veracidade do vídeo divulgado pelas autoridades de Caracas, como prova de vida do ativista.

#Venezuela's leopoldolopez</a> was hospitalized overnight. Gov&#39;t showed a "proof of life" vid, but wife can&#39;t see him. <a href="https://t.co/7NvhFPgRG1">pic.twitter.com/7NvhFPgRG1</a></p>&mdash; Kevin Rincon (KevRincon) May 4, 2017

Este domingo foi mais um dia de manifestações e protestos contra Nicolas Maduro.

A encabeçar a marcha, o líder da oposição, Henrique Capriles acusou o Governo de levar a cabo centenas de detenções arbitrárias.

“É muito grave. São tribunais constituídos em lugares militares para julgar civis e 40 dessas 780 pessoas já foram enviadas para a prisão”, acusa Capriles.

Todos los venezolanos tenemos que hacerle frente a semejante violación a nuestra CRBV y ONU_derechos</a> <a href="https://twitter.com/Almagro_OEA2015">Almagro_OEA2015OEA_oficial</a> <a href="https://t.co/Phvbdr0hXw">https://t.co/Phvbdr0hXw</a></p>&mdash; Henrique Capriles R. (hcapriles) May 7, 2017

Centenas de pessoas saíram às ruas, de Caracas, muitas com instrumentos musicais, em protesto contra o escalar da violência que se vive na Venezuela, que desde 1 de abril fez 37 mortos e mais de sete centenas de feridos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Venezuela desqualifica candidata presidencial da oposição María Corina Machado

Guiana: Presidente venezuelano assume controlo da exploração de crude e gás da região de Essequibo

Mega-operação para retomar controlo de prisão