Internauta russo condenado por jogar a "Pokémon Go" em catedral

Internauta russo condenado por jogar a "Pokémon Go" em catedral
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
PUBLICIDADE

Três anos e meio de prisão, em pena suspensa, por jogar ao “Pokémon Go” na catedral de Ekaterimburgo.

A Justiça russa pronunciou a sentença contra Rouslan Sokolovski, um internauta de 22 anos, detido em Agosto e julgado por “incitação ao ódio religioso e insulto aos sentimentos religiosos dos crentes”.

O jovem, ateu militante, foi igualmente condenado a 160 horas de serviço comunitário, com uma proibição de comparecer em manifestações, sem uma autorização especial, durante três anos.

A sentença foi saudada pelo jovem, quando a Amnistia Internacional denunciou, “um novo ataque contra a liberdade de expressão”.

Munido de um telemóvel, o jovem tinha filmado um vídeo, visto por mais de 1,6 milhões de internautas, em que jogava à conhecida aplicação dentro da catedral.

Um ato militante, alegadamente para testar o risco de poder terminar na cadeia.

A lei utilizada para condenar Sokolovski é a mesma que tinha levado o grupo musical “Pussy Riot” a cumprir dois anos de cadeia, em 2012, depois de uma polémica “oração Punk” no interior da catedral de Moscovo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Rússia aborta lançamento do foguetão Angara-A5 a minutos da descolagem

Rússia e Cazaquistão vivem "piores cheias em décadas"

Centenas de russos protestam contra “inércia” das autoridades após inundações