This content is not available in your region

Oito princesas dos Emirados julgadas por escravidão

Access to the comments Comentários
De  Ricardo Figueira
Oito princesas dos Emirados julgadas por escravidão

Esta é uma história de princesas, mas que não está a ter um final feliz, pelo menos para elas. São oito princesas dos Emirados Árabes Unidos, que começaram esta sexta-feira a ser julgadas em Bruxelas, num alegado caso de escravidão doméstica. As oito nobres alugaram um piso inteiro num hotel de luxo da capital belga durante vários meses e são acusadas de maus tratos aos empregados particulares e pessoal do hotel.

O pessoal doméstico que as acompanhou, segundo testemunhos, era tratado como escravos: “É um dossiê simbólico, por isso insistimos em ser queixosos neste processo. Em parte, devido à personalidade das arguidas, que são princesas dos Emirados Árabes Unidos. Por outro lado, devido ao tipo de exploração que está em causa, que é a exploração doméstica, uma forma menos conhecida de exploração económica, que acontece em círculos fechados e que é muito mais difícil de detetar”, disse Patricia Le Cocq, da associação MYRIA.

A MYRIA, que desencadeou este processo, é uma associação que luta pelos direitos fundamentais dos imigrantes e contra o tráfico de seres humanos. Os empregados das oito princesas foram levados para a Bélgica sem visto de trabalho e mantidos em condições desumanas, segundo vários testemunhos.