Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

"Ransomware": Uma nova vaga de ciberataques?

"Ransomware": Uma nova vaga de ciberataques?
Tamanho do texto Aa Aa

O ciberataque que afetou mais de 200 mil utilizadores em 150 países pode estar longe de estar circunscrito esta segunda-feira.

A China anunciou ter identificado uma mutação do vírus malicioso “ransomware” “WannaCry”, que consegue contornar as medidas de segurança implementadas durante o fim de semana.

Os especialistas em segurança temem uma nova vaga de contaminação, quando milhões de computadores voltarem a ligar-se à rede esta segunda-feira.

A Microsoft confirmou que o vírus utilizado no ataque teria sido propagado graças a uma “arma informática” da Agência Nacional de Segurança norte-americana (NSA, na sigla em inglês), pirateada em Abril por um grupo de hackers.

A empresa de “software” denunciou igualmente a forma como os serviços secretos ocultarão informações sobre vulnerabilidades dos sistemas informáticos.

O ataque, iniciado na sexta-feira atingiu serviços públicos como os Hospitais no Reino Unido, empresas de telecomunicações, como a Telefónica em Espanha ou a Portugal Telecom, mas também uma fábrica da Renault em França, o sistema bancário russo ou universidades na Grécia e em Itália.

O vírus, que sequestra os dados dos computadores, teria provocado mais de 4 mil milhões de dólares de perdas, ainda que os seus autores, que permanecem desconhecidos, tenham amealhado apenas 32 mil euros em resgates.