Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Trump em pose de "vítima" face a novo procurador especial

Trump em pose de "vítima" face a novo procurador especial
Tamanho do texto Aa Aa

Donald Trump resiste às novas revelações no caso “RussiaGate”, em pose de vítima, e nas redes sociais.

Na sua conta Twitter, o presidente norte-americano classificou a nomeação de um procurador especial para prosseguir e alargar o inquérito, como, “a maior caça às bruxas contra um político na história americana”.

Trump retomou ainda as acusações de campanha, para denunciar a ausência de uma investigação aos “atos ilegais” da anterior administração.

Face à pressão do Congresso, o Departamento de Justiça nomeou o antigo diretor do FBI, Robert Mueller para liderar o inquérito a todos as eventuais ligações entre a Rússia e a equipa de Trump.

Como explica Jessica Levinson, Professora da Faculdade de Direito Loyola:

“Uma investigação especial tem um campo mais específico, mas quanto mais se avança, e mais pessoas são interrogadas e mais documentos são reunidos, o inquérito torna-se mais vasto e é esse o temor de muitos dentro da administração – que o inquérito se torne tentacular”.

A nova fase do inquérito – sob alçada do FBI até ao despedimento do diretor James Comey, na semana passada – permite agora contornar qualquer influência do Departamento de Justiça.

Um dado essencial para a oposição democrata, depois das alegações de que Trump teria pressionado Comey a suspender a investigação em curso.