EUA: Rússia terá atacado empresa de programas para votação

EUA: Rússia terá atacado empresa de programas para votação
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A informação consta de um documento classificado, de um serviço de informações norte-americano, divulgado esta semana.

PUBLICIDADE

Piratas informáticos russos terão, alegadamente, atacado pelo menos um fornecedor de programas para votação, dias antes das eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, no ano passado.

A informação consta de um documento classificado, de um serviço de informações norte-americano, divulgado esta semana.

O relatório sugere que os ciberataques, relacionados com o escrutínio presidencial, tinham conseguido atingir os sistemas de votação.

O Departamento de Justiça norte-americano divulgou, na segunda-feira, que deteve e acusou uma analista por revelar informação classificada.

Reality Winner, de 25 anos, terá, no dia 9 de maio, imprimido informação classificada como “muito secreta”, retirou-a das instalações e entregou-a ao “The Intercept”.

MORE: 25-Year-Old Reality Leigh Winner, Alleged NSA Leaker, Arrested By Justice Department – https://t.co/yzdKIFXX5Zpic.twitter.com/Ikji3Ws7bb

— Breaking911 (@Breaking911) June 5, 2017

O jornal em linha divulgou, na segunda-feira, parte do relatório, de cinco páginas, da Agência de Segurança Nacional, onde se detalham as intenções do Governo russo de atacar, informaticamente, o sistema de votação dos Estados Unidos, explicam técnicas utilizadas pela Rússia de infiltração e “phishing” – o envio de correios eletrónicos maliciosos.

Exclusive: Top secret NSA report details Russian hacking effort days before 2016 election. https://t.co/khcBhCHENJ

— The Intercept (@theintercept) June 5, 2017

O documento não revela se as ações dos piratas informáticos foram bem-sucedidas.

O Governo de Vladimir Putin negou, sempre, qualquer tentativa de interferência nas eleições presidenciais de novembro, disputadas entre Hillary Clinton e Donald Trump.

Em janeiro, os serviços secretos norte-americanos deram conta de uma campanha de influencia, por parte do Kremlin, que tinha como objetivo descredibilizar a candidatura da democrata e ajudar a garantir a vitória do republicano, o que acabaria por acontecer.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Estados Unidos anunciam pacote de ajuda militar à Ucrânia de 300 milhões de dólares

Nova "Guerra das Estrelas": Rússia desenvolve sistema de mísseis nucleares antissatélite

Investigação do FBI após cidadão russo voar da Europa para os EUA sem passaporte ou bilhete