Última hora

Última hora

Portuguesa entre as vítimas do terrorismo em Barcelona

Portuguesa entre as vítimas do terrorismo em Barcelona
Tamanho do texto Aa Aa

Uma mulher de nacionalidade portuguesa, nascida em 1943 e residente em Lisboa, é uma das 13 vítimas mortais do ataque terrorista registado na quinta-feira, nas Ramblas, em Bercelona, disse à Lusa o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.

Uma jovem portuguesa, de 20 anos, neta da referida vítima mortal, está desaparecida. A família está en contacto com o Consulado português de Barcelona.

Ao todo, entre o ataque do centro de Barcelona e o ocorrido pouco depois em Cambrils, 120 quilómetrios a sul da capital da Catalunha, morreram 14 pessoas e cerca de uma centena de feridos.

O Presidente do Governo espanhol, Mariano Rajoy, interrompeu as férias e deslocou-se da Galiza para Barcelona, onde se dirigiu a Nação ao início da madrugada desta sexta-feira.

“Lamentavelmente, os espanhóis conhecem muito bem a dor irracional e absurda que o terrorismo provoca. Sofremos investidas idênticas na nossa história recente. Também sabemos que os terroristas se vencem. Vencem-se com unidade institucional, cooperação policial, prevenção, apoio internacional e a determinação firme de defender os valores da nossa civilização como a democracia, a liberdade e os direitos das pessoas”, disse Rajoy.

Os dois ataques, nas Ramblas e em Cambrils, foram realizados com recurso a veículos.

Em Barcelona, uma furgoneta deixou um rasto de sangue ao longo de 600 metros nas Ramblas. Três suspeitos foram detidos e um outro encontrado morto.

Em Cambrils, outro veículo investiu sobre civis. Cinco terroristas foram abatidos — um morreu já no hospital.

O Governo espanhol declarou luto nacional até domingo.