EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Muçulmanos contra terrorismo na Catalunha

Muçulmanos contra terrorismo na Catalunha
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
PUBLICIDADE

“Somos muçulmanos, não somos terroristas”, uma das frases gritadas por membros da comunidade muçulmana em Barcelona, que sairam à rua contra o terrorismo, mais precisamente à fonte de Canaletes, o local do atentado que vitimou 13 pessoas.

A iniciativa partiu do Centro Cultural Islâmico Catalão e agregou cerca de 100 pessoas da comunidade muçulmana, a que se juntaram vizinhos e transeuntes.

La Junta Islámica de España, el Instituto Halal y Federación Musulmana de España han mostrado su “rechazo e… https://t.co/C63YTc1QrZ

— Annur Tv (@annurtv) August 18, 2017

Aziz Cetuani Farcho, marroquina a viver na Catalunha , juntou-se à manifestação: “Também somos vítimas. Porquê? porque primeiro nos dói, aquilo que aconteceu, e em segundo lugar também dói que nos enfiem a todos no mesmo saco, que nos olhem de lado, que nos insultem nas ruas.”

Abdel Karim, também marroquino e também residente em Barcelona, diz: “Podia ter-me acontecido a mim também. Sou muçulmano, sou uma pessoa que não faz mal a ninguém. Pago os meus impostos e agradeço a este país poder ter o que quero. Não sou uma pessoa violenta. Estou desolado com o que aconteceu a estas pessoas que são apenas pessoas como eu.”

Várias instituições islâmicas presentes em Barcelona se pronunciaram contra o atentado, entre elas a Federação do Conselho Islâmico Cultural da Catalunha, a União de Comunidades Islâmicas de Catalunha e a Associação de Amigos do Povo Marroquino.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ilha de Menorca: aldeia de Binibeca Vell com horário restrito de visitas durante o verão

Reconhecimento do Estado palestiniano é apenas um "pequeno passo", dizem espanhóis

O que está por trás da última polémica de Milei com o governo espanhol?