Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Míssil foi a primeira de várias operações focadas em Guam

Míssil foi a primeira de várias operações focadas em Guam
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O próximo objetivo será o território norte-americano de Guam. Os media oficiais da Coreia no Norte anunciaram que o míssil lançado na segunda-feira foi o prelúdio de mais operações militares focadas na ilha de Guam.

Mas Pyongyang aparenta estar isolada. A tradicional aliada china admitiu que os norte-coreanos violaram as resoluções da ONU e está disposta a agir em conjunto com o conselho de segurança, que condenou por unanimidade o lançamento do míssil.

“A uma outra parte importante do Conselho de Segurança – e isto é também o consenso dos 15 membros – é a persistência nos métodos pacíficos e diplomáticos para resolver assuntos sobre o nuclear na península e um apelo para o regresso ao diálogo, assim que possível, especialmente no reatar das conversações a seis, além de pedir a todos os lados para evitarem ações que podem tornar a situação mais tensa”, afirmou Wang Wi, ministro dos Negócios Estrangeiros chinês.

O Pentágono esclareceu que o míssil disparado pela Coreia do Norte sobre o Japão não constituiu qualquer perigo para o continente norte-americano, nem para a ilha de Guam. Mas a ameaça está presente e vários são os países que receiam que este último gesto possa fazer escalar a tensão na região.