Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Pelo menos 1400 mortos em inundações na Índia, Bangladesh e Nepal

Pelo menos 1400 mortos em inundações na Índia, Bangladesh e Nepal
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Índia, Bangladesh e Nepal enfrentam há dois meses as piores inundações registadas no sul da Ásia nas últimas décadas. Mais de 1.400 pessoas morreram e milhões ficaram desalojadas. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), 41 milhões de pessoas foram afetadas.

O resultado são cidades inteiras isoladas, com estradas bloqueadas, comboios paralisados, aviões desviados, escolas e outros serviços públicos encerrados, milhares de casas danificadas e centenas de milhares de hectares de terra de cultivo destruídos.

A extensão da tragédia poderia ser menor, segundo os peritos, se existisse planeamento por parte dos governos, já que o Sudeste Asiático é confrontado regularmente a inundações durante a temporada de monções, entre junho e outubro. Esta é a opinião de Shreeshan Venkatesh, um investigador do Instituto para a Ciência e o Meio-ambiente em Nova Deli:

“Normalmente, não integramos modelos climáticos nem fenómenos climáticos na forma como planeamos as coisas. Ao nível das infra-estruturas, do desenvolvimento, da indústria, seja o que for. E se não fizermos isso, vamos enfrentar danos ainda maiores. Tendemos a considerar estes acontecimentos uma fatalidade em vez de algo que sendo inevitável, deve ser planeado.”

O Nepal, que ainda não recuperou depois do terremoto de 2015, sofre as piores inundações dos últimos 15 anos. Morreram mais de 140 pessoas e dezenas estão desaparecidas, há cerca de 100 mil famílias desalojadas.

As inundações no Nepal foram seguidas pelas cheias na Índia e depois no Bangladesh. Não houve porém cordenação alguma entre as entidades públicas destes países vizinhos.