Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Manchester Arena reabre para concerto em honra das vítimas

Manchester Arena reabre para concerto em honra das vítimas
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O Manchester Arena, onde em 22 de maio uma bomba matou 22 pessoas e feriram centenas, reabriu na noite de sábado pela primeira vez depois do atentado, para um concerto de beneficiência destinado a recolher fundos para a construção de um memorial às vítimas na cidade britânica.

Milhares de pessoas foram ouvir o músico Noel Gallagher, o grupo Courteeners e o poeta Tony Walsh. O concerto “We are Manchester” é uma homenagem às vítimas, frisou o presidente da Câmara de Manchester, Andy Burnham:

“Quero agradecer a cada um e a todos vocês por estarem aqui esta noite para apoiar as famílias que perderam os seus próximos – pensamos nelas esta noite e também naqueles que ainda estão a recuperar de ferimentos”, disse Burnham.

A maior parte das vítimas eram adolescentes, fãs da cantora norte-americana Ariana Grande. A mais jovem, Saffie Roussos, tinha oito anos. Entre as vítimas mortas no ataque, estão também os pais que tinham ido buscar os filhos após o espetáculo.

O poeta Tony Walsh deu ânimo à cidade com o poema “This Is The Place”, declamado numa vigília depois do ataque. Do mesmo modo, a canção “Don’t look back in anger” de Noel Gallagher tornou-se uma espécie de hino que as pessoas cantavam quando vinham ao local render homenagem às vítimas.

Blowback: o feitiço voltou-se contra os feiticeiros

Parte da imprensa britânica chamou a atenção, depois do atentado em Manchester, que a bomba era de fabricação sofisticada e o autor, Salman Abedi, era filho de Ramadan Abedi, um militante líbio que pertencia a um vasto grupo de imigrantes líbios de Manchester, islamistas radicais que os serviços secretos britânicos tinham apoiado quando quiseram partir para a Líbia para derrubar Muammar Kadafi, um objetivo partilhado então pelos governos do Reino Unido, Estados Unidos e França.

As imagens da noite do atentado são vídeos amadores, uma cortesia de: twitter.com/hannawwh e @zach_bruce (no interior do Manchester Arena) e de facebook: calimarco pt_personal trainer/instagram calimarcopt (no exterior)