Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

China admite abandonar carros movidos a combustíveis fósseis

China admite abandonar carros movidos a combustíveis fósseis
Tamanho do texto Aa Aa

A China quer acabar com a venda e produção de carros a gasolina e a gasóleo. O anúncio foi feito pelo vice-ministro da Indústria e da Informação Tecnológica, mas para já não há qualquer calendário definido.

“Algumas nações definiram um calendário para acabar com a produção convencional de carros. Nesse sentido, o Ministério da Indústria e da Informação Tecnológica, também, ativou a pesquisa para cooperar com autoridades de relevo. Esta decisão vai certamente introduzir mudanças profundas no meio ambiente e na força da indústria automóvel chinesa” refere Xin Guobin.

Países como a França e a Índia já anunciaram que pretendem acabar com a venda e produção de veículos movidos a combustíveis fósseis. Em Paris, a venda poderá ser uma realidade em 2040, 10 anos mais tarde do que em Nova Deli.

A China quer continuar a dominar o mercado automóvel mundial, mas desta vez com os carros elétricos. A aposta em energias renováveis e a situação económica do país estão a atrair investidores e marcar pontos frente a países comos os Estados Unidos.