Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

NATO inquieta com compra turca de anti-aérea russa

NATO inquieta com compra turca de anti-aérea russa
Tamanho do texto Aa Aa

O presidente da República da Turquia, Recep Tayyip Erdoğan, anunciou a compra de um sistema de defesa anti-aérea do modelo S-400 à Rússia, numa decisão deixou a Organização do Tratado do Atlântico Norte, a NATO/OTAN, inquieta.

A informação foi avançada pelo diário turco Hürriyet, de tendência nacionalista. Em declarações aos jornalistas no quadro de uma deslocação ao Cazaquistão, Tayyip Erdoğan disse estar, “tal como o presidente Vladimuir Putin”, determinado relativamente à questão.

Ancara e Moscovo aproximam-se

O acordo foi confirmado pelas autoridades russas de forma oficial, mas a decisão de Ancara poderia ser motivo de tensão com alguns dos aliados da NATO. Uma das razões citadas é o facto de que o sistema de defesa S-400 possa revelar-se incompatível com os sistemas utilizados por outros Estados-membros da organização.

Apesar de divergências em vários temas, como a questão síria ou o tratamento da minoria tártara na Península da Crimeia, as potências regionais parecem aproximar-se, à medida que as relações entre a Turquia e a União Europeia atravessam momentos de tensão.

O anuncio da assinatura do acordo, não significa, no entanto, que a entrega do material de defesa tenha lugar a curto prazo. Segundo o presidente turco, o próximo passo é a transferência de um crédito para a Rússia para financiar o contrato.

“Uma questão operatividade” para Washington

Para os Estados Unidos, o importante é que os sistemas de segurança dos diferentes Estados-membros sejam compatíveis, o que significa, em termos práticos, que o material de defesa deve ser comprado a países membros da Aliança.

Para alguns analistas, citados pela agência AFP, no entanto, a decisão é, neste sentido, uma mensagem do Governo turco às potências Ocidentais, que têm todo o interesse em manter boas relações com o segundo mais importante exército da NATO em termos absolutos.

Com AFP