Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

França promulga reforma do Código de Trabalho

França promulga reforma do Código de Trabalho
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Indiferente aos protestos nas ruas, o chefe de Estado francês promulgou esta sexta-feira, a reforma do Código de Trabalho.

A cerimónia decorreu no Palácio do Eliseu, em Paris e foi transmitida em direto.

Eleito em maio, Emmanuel Macron que fez desta reforma uma bandeira de campanha não esconde a satisfação. “Nunca uma reforma com esta amplitude foi feita desde o início da V República e nunca num tão curto espaço de tempo. Foram precisas dezenas de horas de debate parlamentar – cerca de 80 – mais 300 de concertação com os parceiros sociais para refundar a filosofia do nosso código do trabalho, do seu estado de espírito, com efeitos profundamente estruturantes sobre o emprego, em particular para os mais jovens e para os menos qualificados” afirma Macron.

Argumentos que não convencem os manifestantes que, esta quinta-feira, responderam, mais uma vez, aos apelos lançados por várias estruturas sindicais. De acordo com a polícia, 16 mil pessoas saíram à rua, os sindicatos falam em 55 mil. A contestação promete não ficar por aqui. Novas ações de protesto estão já previstas para os próximos dias.

Para a CGT, Confederação Geral do Trabalho a reforma vai permitir alargar o horário de trabalho, dar primazia aos acordos de empresa sobre os acordos coletivos e facilitar os despedimentos. Pelo que representa “uma regressão” nos direitos dos trabalhadores.

A taxa de desemprego em França situa-se nos 9,6%, acima da taxa média na Europa (7,8%).