A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Nova "sangria" de empresas do Ibex35 na rota da independência catalã

Nova "sangria" de empresas do Ibex35 na rota da independência catalã
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A iminência de uma declaração unilateral de independência leva mais empresas catalãs a ponderar a saída do território. Depois de uma semana marcada pela “sangria” de gigantes como os bancos Sabadell e CaixaBank ou a Gas Natural Fenosa, mais empresas vão discutir esta segunda-feira a possibilidade de transferir a sede social para outra região de Espanha.

A medida, permitida por um decreto governamental aprovado na sexta-feira em conselho de ministros, vai estar em cima da mesa das reuniões de empresas da esfera CaixaBank como a concessionária de autoestradas Abertis, a empresa de telecomunicações Cellnex e a imobiliária Colonial.

Até ao final do dia, a rota da independência fixada pelo governo regional, deverá ter conduzido à saída do território de seis das sete empresas com base na Catalunha cotadas no índice Ibex 35. Até agora apenas a multinacional de derivados de plasma sanguíneo Grifols descarta optar por juntar-se à vaga quando dois terços da sua actividade está localizada nos Estados Unidos e Canadá.

O Ibex 35 abriu esta manhã em terreno positivo, com ganhos de 0,23% na Bolsa de Madrid. A agência de notaçã Moody’s felicita-se com a decisão do Caixabank e Sabadell de evitar uma possível saída da zona euro precipitada por uma declaração unilateral de independência, embora a agência continue a considerar a soberania do território como “pouco provável”.