EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Madrid deverá oficializar mandado europeu de Justiça contra Puigdemont

Madrid deverá oficializar mandado europeu de Justiça contra Puigdemont
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente destituído do Governo regional catalão exigiu, em Bruxelas, a libertação dos membros do antigo Executivo autónomo.

PUBLICIDADE

O advogado do presidente destituído da Generalitat da Catalunha, Carles Puigdemont, diz que a Justiça espanhola emitiu um mandado de detenção europeu contra aquele que o Governo de Madrid considera como antigo líder da região autónoma.

Puigdemont, que se encontra em Bruxelas, não compareceu perante a Audiência Nacional , em Madrid, e condenou a detenção de vários antigos membros do Governo catalão:

“Como presidente legítimo do Governo da Catalunha, eleito a 27 de setembro, exijo a libertação dos membros do meu Executivo, assim como do meu vice-presidente. Exijo respeito por todas as opções políticas e exijo o fim da repressão política”, disse Puigdemont.

Vários antigos membros do Governo regional catalão são acusados dos delitos de rebelião, sedição e desvio de fundos. Oriol Junqueras, antigo vice-presidente, encontra-se entre entre os alvos da medida de prisão preventiva.

O antigo conselheiro Santi Vila, que se demitiu poucas horas antes da destituição do Executivo catalão, pode aguardar julgamento em liberdade, mas terá de pagar 50 mil euros.

Espera-se que a Audiência Nacional oficialize o mandado de detenção europeu esta sexta-feira. Madrid enviará um pedido de extradição ao Ministério Público federal belga.

Com Lusa

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Procurador junto do Supremo Tribunal analisa mandado europeu de Justiça

Espanha: Sánchez quer que a comunidade internacional "exerça mais pressão" sobre Israel

O Supremo Tribunal mantém o mandado de captura de Puigdemont após a publicação da lei da amnistia