Milhares exigem a libertação de dirigentes catalães

Milhares exigem a libertação de dirigentes catalães
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A mobilização é vista como um teste para o movimento independentista depois do fracasso da declaração unilateral de independência, a 27 de outubro.

PUBLICIDADE

Milhares de pessoas manifestaram-se, esta noite, nas ruas de Barcelona a exigirem a libertação de 10 dirigentes independentistas catalães.

De acordo com a polícia da capital da Catalunha, o número de participantes rondou os 750 mil.

Remarkable footage from today’s demonstration in #Barcelona (via 324cat</a>) <a href="https://twitter.com/hashtag/Catalonia?src=hash&ref_src=twsrc%5Etfw">#Catalonia</a> <a href="https://t.co/vpBNFFZ2R9">pic.twitter.com/vpBNFFZ2R9</a></p>— Stefan Simanowitz (StefSimanowitz) November 11, 2017

A mobilização é vista como um teste para o movimento independentista depois do fracasso da declaração unilateral de independência, a 27 de outubro, e antes das eleições regionais de 21 de dezembro, convocadas pelo Governo espanhol presidido por Mariano Rajoy.

As divergências no seio dos partidos pró-independência foram tornadas públicas após a Esquerda Republicana da Catalunha ter rejeitado uma candidatura unitária independentista, proposta pelo líder do Partido Democrata Europeu Catalão (PDeCAT), Carles Puigdemont.

O partido liderado por Oriol Junqueras afirmou que avança sozinho para as eleições autonómicas e o antigo vice-presidente da Generalitat será o cabeça da lista.

As últimas sondagens dão a vitória aos partidos independentistas mas sem maioria absoluta.

O presidente do Governo espanhol desloca-se, este domingo, à Catalunha, para participar num evento do Partido Popular.

Esta semana, Mariano Rajoy, apelou à “participação massiva” nas eleições regionais de modo a “abrir uma nova etapa”, esperando que os catalães estejam “conscientes da importância dessa consulta”.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Só em janeiro, Canárias receberam mais migrantes do que na primeira metade de 2023

Vinícius Júnior, jogador do Real Madrid, não conseguiu conter as lágrimas ao falar de racismo

Tribunal suspende bloqueio do Telegram em Espanha