Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Hamas recusa desarmamento

Khalil al-Hayya, Hamas
Khalil al-Hayya, Hamas
Tamanho do texto Aa Aa

O histórico acordo de entre Hamas e Fatah representou um passo de gigante para deixar para trás uma década de divergências entre os principais movimentos palestinianos. O aplauso da comunidade internacional foi unânime mas ainda há um longo caminho a percorrer e para o Hamas, o desarmamento está fora de questão.

As palavras de Khalil al-Hayya não podiam ser mais claras: "As nossas armas não podem ser tocadas! Isto não está aberto a debate nem discussão. Serão transportadas para a Cisjordânia para combater a ocupação. É nosso dever lutar contra os invasores até ao fim! O arsenal da resistência em Gaza é uma fonte de poder para todos os palestinianos, incluindo o líder da Autoridade Palestiniana."

Uma posição forte que faz crescer o antagonismo entre duas fações que ainda negoceiam a reconciliação. Os festejos pelo acordo nas ruas de Ramallah refletiram a esperança de melhores dias, mas a esperança, por enquanto, não veio para ficar.