EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Trump continua a negar conspiração com a Rússia

Trump continua a negar conspiração com a Rússia
Direitos de autor 
De  Nara Madeira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Donald Trump reafirma que não houve conspiração com a Rússia mas há quem acredite que outras peças do dominó podem cair.

PUBLICIDADE

Donald Trump, na sua primeira declaração após as afirmações de Michael Flynn, reafirmou que não houve conspiração entre a sua equipa e a Rússia, durante a última campanha eleitoral:

"Não estou preocupado. E o que ficou demonstrado é que não houve conspiração. Não houve absolutamente nenhuma conspiração", afirmou Trump.

A reação do Presidente dos EUA acontece depois de, na sexta-feira, o seu ex-conselheiro para a Segurança Nacional, Michael Flynn, se ter declarado culpado de mentir ao FBI e se ter mostrado pronto a cooperar com a justiça. Para os Democratas a situação é clara:

"O General Flynn é mais um exemplo da extensão dos laços entre altos funcionários, envolvidos nos esforços encetados por Trump, e os russos. Quantas pessoas mais é preciso levar à justiça, pelas suas ligações à Rússia, para que se chegue a essa conclusão?" - Pergunta o senador Democrata Mark Warner.

Para uma professora de Direito, entrevistada pela agência Reuters, outros capítulos desta história virão:

"Isto não parece ser o fim da investigação. Aquilo que podemos esperar ver são, talvez, outras peças do dominó a caírem", afirmou Miriam Baer, docente na Faculdade de Direito de Brooklyn.

A investigação pretende compreender se Jared Kushner, o genro de Donald Trump e seu assessor está envolvido neste caso.

Em comunicado, a Casa Branca enfatiza que as novas declarações de Michael Flynn, de que mentiu ao FBI, são da sua inteira responsabilidade, ou seja só o envolvem a ele. 

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

A fúria de Trump contra Bannon e o fim de um ciclo

Biden chama nações "xenófobas" à Índia e Japão

Biden apela à libertação de jornalistas no jantar dos correspondentes de imprensa