A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Missa de Natal em Belém marcada pelos acontecimentos em Jerusalém

Missa de Natal em Belém marcada pelos acontecimentos em Jerusalém
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Uma missa marcou o início do Natal este domingo na Igreja da Natividade, na cidade palestiniana de Belém.

Como acontece todos os anos, a missa contou com a presença de crentes de todo o mundo, ainda que em menor número do que o habitual, por causa do intensificar das tensões entre palestinianos e israelitas, nas últimas semanas.

Manifestantes dos Territórios Palestinianos Ocupados têm manifestado o desagrado com a decisão da parte do presidente Trump em reconhecer a cidade de Jerusalém, incluida a parte anexada pelo exército Israelita, como a capital do Estado de Israel.

Administrador Apostólico de Jerusalém diz que paz deve incluir todos

A missa contou com a presença do presidente da Autoridade Palestiniana, Mahmoud Abbas e do Arcebispo Pierbattista Pizzaballa, para quem "Jerusalém é uma cidade de paz não pode haver paz se alguém for excluido."

Pierbattista Pizzaballa referiu-se ao tema que opõe Israelitas e Palestinianos e que opôs os Estados Unidos a grande parte da Comunidade Internacional. Pediu aos políticos que tivessem "coragem", referindo-se a Jerusalém como um lugar que deve ser "servido" e não "possuído".

Trump, os palestinianos e Jerusalém

Foi no início deste mês de dezembro que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, decidiu mudar décadas de política externa norte-americana e reconheceu Jerusalém como a capital do Estado de Israel.

O presidente Trump anunciou também que os Estados Unidos tinham a intenção de trasladar a embaixada da cidade de Telavive, reconhecida como capital pela Comunidade Internacional, para Jerusalém, que Israel considera como a capital.

O anúncio deu origem a protestos e confrontos nos Territórios Palestinianos Ocupados, a Cisjordânia e a Faixa de Gaza. Na cidade de Belém, têm sido registados confrontos quase todos os dias. Vários palestinianos morreram em confrontos com a polícia Israelita nos últimos dias.