Última hora

Última hora

Mão-de-obra venezuelana no negócio das flores

Em leitura:

Mão-de-obra venezuelana no negócio das flores

Mão-de-obra venezuelana no negócio das flores
Tamanho do texto Aa Aa

É na Colômbia que muitos venezuelanos encontram, por estes dias, no negócio das flores um meio de subsistência. A época que antecede o Dia dos Namorados é uma das mais fortes no país, responsável por cerca de 74 por cento das exportações para os Estados Unidos. Da Colômbia saem, por esta altura, cerca de 35 mil toneladas de flores.

"Normalmente precisamos de mais pessoas para dar resposta aos pedidos para o Dia de São Valentim e para o dia da Mãe que nos chegam dos Estados Unidos e de outros países para onde exportamos flores. Este ano, contamos com um grande número de venezuelanos" refere Dayana Rodríguez, assistente numa empresa de flores.

Mais de um milhão de venezuelanos contam com um Cartão de Mobilidade Fronteiriça que lhe permite entrar na Colômbia para comprar alimentos e medicamentos. A vaga migratória está, também, a originar casos de exploração. De acordo com o ministro dos Negócios Estrangeiros colombiano pelo menos 600 empresários foram multados por estarem a pagar menos que o salário mínimo.