Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Os riscos dos bebés recém-nascidos

Os riscos dos bebés recém-nascidos
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

É de forma preocupante que um novo relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) revela que todos os anos morrem 2,6 milhões de bebés com menos de um mês de idade. Um milhão morre no dia de nascimento e mais de outros dois são nados-mortos

De acordo com documento, divulgado esta terça-feira, a sobrevivência dos recém-nascidos está relacionada, em grande parte, com o nível de rendimento. Por outro lado, nos países mais inseguros - com o Paquistão à cabeça com uma morte em cada 22 partos - a probabilidade dos bebés que nascem morrerem é 50 vezes superior à de países ditos seguros, como o Japão, Islândia ou Singapura.

Em Portugal a taxa de mortalidade de recém-nascidos é de 2,1.

É na África Subsariana que se encontram oito dos dez países mais perigosos para nascer. República Centro-Africana, Somália, Lesoto, Guiné-Bissau, Sudão do Sul, Costa do Marfim, Mali e Chade.

As condições no terreno são uma das razões como explica Willibald Zeck, responsável a nível mundial do programa maternal e neonatal da UNICEF: "As mulheres grávidas caminham descalças dias a fio para chegar a um hospital ou a uma unidade de cuidados médicos. Se essa unidade não tiver boa reputação, se não estiver a prestar apoio, as mulheres pensarão duas vezes se vão ou não. Provavelmente darão à luz em casa com uma parteira tradicional o que não é ideal."

Ainda de acordo com o relatório "Todas as vidas contam", mais de 80% das mortes de bebés recém-nascidos deve-se a nascimentos prematuros, complicações durante o parto ou infeções como a pneumonia e septicemia.

O acesso a água limpa, a boa nutrição e a uma assistência médica de qualidade poderão ajudar a corrigir os números negros.