EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Cessar-fogo da ONU não impede combates em Ghouta Oriental

Cessar-fogo da ONU não impede combates em Ghouta Oriental
Direitos de autor 
De  Antonio Oliveira E Silva com REUTERS
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Rebeldes acusam al-Assad de ataque com recurso a gás de cloro.

PUBLICIDADE

Os rebeldes sírios na região de Ghouta Oriental, próxima de Damasco, dizem que vários civis apresentavam sintomas de exposição a gás de cloro depois de um ataque, alegadamente levado a cabo pelo exército de Bashar al-Assad.

Os militantes falam numa "enorme explosão" na localidade de al-Shayfunia e referem um "forte cheiro a cloro".

Pelo menos 18 pessoas terão sido tratadas com urgência.

O Governo sírio tem negado ser responsável pela utilização de armas químicas, numa guerra que dura já há oito anos.

Moscovo acusa rebeldes 

Moscovo, que apoia o presidente sírio Bashar al-Assad, acusou os rebeldes de utilizarem agentes químicos na região de Ghouta Oriental com a intenção de culpar o Governo de Damasco.

O chamado Observatório Sírio dos Direitos Humanos, organização com sede no Reino Unido, diz que uma criança terá morrido no ataque. A informação não foi confirmada pela Euronews.

A região de Ghouta Oriental, conhecida como o pulmão de Damasco, tem sido alvo de violentos ataque por parte do exército sírio.

Cessar-fogo de 30 dias

Este sábado, o Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou uma resolução relativa a uma trégua de 30 dias, válida para todo o território nacional.

De acordo com as agências noticiosas, pelo menos 14 pessoas morreram nos ataques dos últimos dias.

Os Estados Unidos acusaram anteriormente a Síria de vários ataques com recurso a agentes tóxicos na região de Ghouta Oriental, como aconteceu em 2013.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

UE exige trégua imediata de 30 dias na Síria

Bombardeamentos regressam a Ghouta Oriental

Síria não dá tréguas em Ghouta Oriental