Agente neurotóxico pode ter vindo de Porton Down, diz embaixador russo

Porton Down Defence Science and Technology Laboratory in Wiltshire
Porton Down Defence Science and Technology Laboratory in Wiltshire Direitos de autor REUTERS/Toby Melville
Direitos de autor REUTERS/Toby Melville
De  Nelson Pereira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O agente neurotóxico usado para envenenar o espião russo Sergei Skripal pode ter vindo do laboratório militar britânico de Porton Down, especializado em armas químicas, diz o embaixador russo junto da UE, Vladimir Chizhov

PUBLICIDADE

O agente neurotóxico usado para envenenar o espião russo Sergei Skripal pode ter vindo do laboratório militar britânico de Porton Down, especializado em armas químicas, afirma o embaixador russo junto da União Europeia, Vladimir Chizhov.

"Quando somos confrontados a um agente neurotóxico ou algo do género, o processo de verificação faz-se comparando o produto a amostras de laboratório. Ora, como todos sabemos, Porton Down é a maior instalação militar do Reino Unido consagrada à pesquisa de armas químicas e situa-se a apenas 12 quilómetros de Salisbury", disse Vladimir Chizhov este domingo no programa "Andrew Marr Show" da BBC.

Os peritos de Porton Down têm mantido que o agente neurotóxico usado em Salisbury, um componente químico que ataca o sistema nervoso, é de um tipo desenvolvido na Rússia, sem nunca terem afirmado que veio da Rússia.

O ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, Boris Johnson, informou que um grupo de peritos da Organização para a Proibição de Armas Químicas vai investigar o agente neurotóxico usado em Salisbury, o que fora já exigido pela Rússia.

"Um grupo de peritos da Organização para a Proibição de Armas Químicas em Haia, vai deslocar-se ao Reino Unido. Vamos partilhar com eles as amostras, como seria de esperar. São especialistas com muita experiência e vão realizar testes em laboratórios internacionalmente reconhecidos...", disse Boris Johnson.

Na sequência da expulsão de 23 diplomatas exigida por Londres, Moscovo expulsou no sábado igual número de diplomatas britânicos. O ministério dos Negócios Estrangeiros russo anunciou ainda o encerramento do British Council em Moscovo e a retirada da autorização da abertura do consulado geral britânico em São Petersburgo.

Vários países poderiam ter produzido este agente neurotóxico

O diplomata britânico Craig Murray, cujas revelações estiveram na origem da descoberta da rede global de sequestro e tortura dirigida pela CIA e pelo MI6 depois do 11 de Setembro de 2001, publicou recentemente uma série de artigos nos quais recorda que, segundo a Organização para a Proibição de Armas Químicas, os agentes neurotóxicos do tipo "Novitchok" podem actualmente ser produzidos por vários países, não sendo assim verdade que a Rússia seja o único estado com capacidades para produzir este tipo de arma química.

Israel, Egito, Coreia do Norte e Sudão do Sul fora da Convenção sobre as Armas Químicas

A Convenção sobre Armas Químicas, o acordo que proíbe a produção, o armazenamento e o uso de armas químicas, é administrado pela Organização para a Proibição de Armas Químicas, organização independente com sede em Haia, na Holanda. O estado de Israel assinou mas não ratificou a convenção, enquanto o Egito, a Coreia do Norte e o Sudão do Sul não assinaram ou não ratificaram o acordo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Putin vence eleições com mais de 75% dos votos

Sunak anuncia: voos de deportação do Reino Unido para o Ruanda devem começar dentro de poucos meses

Cozinhou, arrumou e até entregou refeições: príncipe William voltou aos compromissos públicos