Greves dos ferroviários ameaçam parar França

A train arrives at the Gare Saint-Lazare railway station
A train arrives at the Gare Saint-Lazare railway station Direitos de autor REUTERS/Stephane Mahe TPX IMAGES OF THE DAY
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Maquinistas dos caminhos-de-ferro franceses lançam greves de 48 horas, a cada três dias, até final de junho

PUBLICIDADE

França vai começar a viver um longo período de greves no setor ferroviário a partir desta segunda-feira. Os trabalhadores discordam do projeto de reforma da companhia nacional de caminhos-de-ferro apresentado pelo governo. A ministra dos Transportes, Elisabeth Borne, mantém aberta a porta do diálogo e mostra-se otimista.

Mas o braço-de-ferro pode ser longo. A greve que começa esta segunda-feira ao final do dia prevê paralisações de 48 horas, a cada três dias, até 28 de junho.

Em causa está a transformação da SNCF em sociedade anónima, a abertura da rede ferroviária a companhias privadas e o fim do estatuto de trabalhador ferroviário para os novos contratos, entre outros dossiês.

Em 1995 o governo, sob a presidência de Jacques Chirac, foi obrigado a recuar perante a pressão da rua. Duas décadas depois, o executivo do presidente Macron diz-se determinado, embora aberto ao diálogo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Terça-feira negra em França: estações desertas em Lyon

Terceiro dia de greve na Torre Eiffel

Empresa ferroviária espanhola Renfe leva a alta velocidade para França