Madsen condenado a prisão perpétua pelo homicídio de Kim Wall

Madsen condenado a prisão perpétua pelo homicídio de Kim Wall
Direitos de autor Ritzau Scanpix/Nikolai Linares via REUTERS
De  Rodrigo Barbosa com AFP / EFE / Reuters
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Inventor dinamarquês foi considerado culpado de homicídio premeditado da jornalista sueca, bem como de lhe inflingir mutilações sexuais e decapitar e desmembrar o seu cadáver

PUBLICIDADE

O inventor autodidata dinamarquês Peter Madsen foi condenado à prisão perpétua pelo assassinato, em agosto de 2017, da jornalista sueca Kim Wall no interior do submarino que fabricou, perto de Copenhaga.

O engenheiro de 47 anos foi considerado culpado do homicídio premeditado de Wall, bem como de lhe ter inflingido mutilações sexuais e de ter decapitado e desmembrado o cadáver da jornalista de 30 anos, antes de o atirar para o mar.

Wall desapareceu na noite de 10 para 11 de agosto de 2017, depois de embarcar em Copenhaga no UC3 Nautilus, um submarino de 18 metros contruído por Madsen, que a jornalista pretendia entrevistar. O inventor foi resgatado no mar quando o submarino se afundava, sabotado segundo a acusação para tentar esconder as marcas do crime.

Um caso extremamente mediático na Dinamarca, onde apenas 25 detidos cumprem uma pena de prisão perpétua em todo o país. Segundo os psiquiatras, Madsen, que se descreveu ele próprio a próximos como um "psicopata afetivo", representa um "perigo para os outros", com um "risco bastante elevado" de reincidência.

A advogada do inventor anunciou que vai recorrer da sentença.

Editor de vídeo • Rodrigo Barbosa

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Peter Madsen recorre da decisão e procura uma pena mais leve

Peter Madsen enfrenta acusação de homicídio de jornalista