Última hora

Última hora

Esref Kenan Rasidagic: "as mesquitas na Bósnia não são dirigidas pelos países árabes"

Em leitura:

Esref Kenan Rasidagic: "as mesquitas na Bósnia não são dirigidas pelos países árabes"

Esref Kenan Rasidagic: "as mesquitas na Bósnia não são dirigidas pelos países árabes"
Tamanho do texto Aa Aa

euronews: "Dá aulas de relações internacionais na Universidade de Sarajevo. Como vimos na reportagem, a Turquia interfere nos assuntos internos da Bósnia e apoia os grupos pró-Erdogan. O que pensa desta situação?

Esref Kenan Rasidagic: "Desde que a coligação entre Gulen e o AKP caiu por terra, a Turquia tem tentado destruir toda essa estrutura. Isso vai contra os interesses da Bósnia Herzegovina porque temos instituições educativas excelentes que se ocupam da educação das crianças bósnias e fornecem oportunidades de emprego para o mercado académico local que é muito pequeno. Por isso, qual é o interesse da Bósnia?"

euronews: "Há laços históricos antigos entre a Bósnia, os Balcãs e a Turquia, na altura o império otomano. Quais são os interesses da Turquia nos Balcãs?

Esref Kenan Rasidagic: "Os Balcãs são vítimas do seu próprio passado, num certo sentido. A Turquia pode afirmar que está de regresso, como ouvimos várias vezes da parte de políticos turcos, incluindo de Erdogan, embora ninguém desejasse ou esperasse esse regresso. Por outro lado, os laços financeiros e económicos entre a Turquia e a Sérvia, por exemplo, são mais fortes do que os laços financeiros com a Bósnia. Presume-se que seja o contrário mas não é assim".

euronews: "Os Estados Árabes do Golfo Pérsico estão a investir no setor dos serviços, financiam mesquitas e aulas e há muitos turistas do Golfo Pérsico no país. Pensa que o Islão conservador desses países está a ganhar adeptos na Bósnia?

Esref Kenan Rasidagic: "Apesar de certos Estados Árabes do Golfo terem ajudado a financiar a construção de mesquitas na Bósnia Herzegovina, nenhum desses países nomeou imãs na Bósnia. Todos os imãs são bósnios e são pagos pelo Comité Islâmico da Bósnia Herzegovina, incluindo as mesquitas financiadas pela Arábia Saudita, nomeadamente, a famosa mesquita do Rei Fahd. O edifício pertence ao Comité Islâmico da Bósnia Herzegovina. O imã é bósnio. Nunca houve um imã saudita. É importante ter consciência dessa diferença quando falamos do papel dos países árabes na construção de mesquitas. As mesquitas na Bósnia não são dirigidas pelos países árabes".

euronews: "Os grupos radicais islâmicos começaram a aparecer nos anos 90 durante a guerra e depois na luta contra o Estado Islâmico no Médio Oriente. Há provas de que os estados árabes financiam esses grupos radicais aqui no terreno?

Esref Kenan Rasidagic: "Há cerca de dois milhões de bósnios muçulmanos na Bósnia Herzegovina. Em vinte anos de influência, como lhe queira chamar, vemos que o número de jovens radicalizados é de poucos milhares. Não é muito, tendo em conta os supostos esforços para radicalizar os bósnios muçulmanos. Se os bósnios muçulmanos não se viraram para o Islão radical durante a guerra e imediatamente depois da guerra, não vejo por que razão o fariam agora".