A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Líder da oposição da Arménia perde eleição no parlamento e regressa à contestação nas ruas

Líder da oposição da Arménia perde eleição no parlamento e regressa à contestação nas ruas
Direitos de autor
REUTERS/Gleb Garanich
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O Parlamento da Arménia rejeitou a candidatura a primeiro-ministro do líder da oposição Nikol Pashinián, que aspirava chefiar o governo até à realização de eleições legislativas antecipadas.

Pashinián recebeu apoio de todos os partidos da oposição com representação parlamentar, mas os 45 deputados que o apoiaram foram insuficientes, já que a maioria tinha 53 assentos.

55 membros do Partido Republicano, no poder, votaram contra o deputado da oposição que os acusou de usarem uma linguagem antidemocrática e se recusou a negociar com as autoridades.

Ao ver rejeitada a sua candidatura, Pashinián, que tinha denunciado esta manhã alegados planos da formação Republicana para frustrar a votação e recuperar o controlo do poder, regressou ao centro de Erevan para reunir com a multidão de apoiantes.

A Assembleia Nacional votou hoje para eleger um novo primeiro-ministro na sequência da demissão de Serge Sargsian a 23 de abril no contexto de enormes protestos antigovernamentais em todo o país.

O único candidato para ocupar a chefia de governo foi o líder das manifestações, Pashinián.

De acordo com a lei arménia, a Assembleia Nacional deve reunir dentro de uma semana para uma nova votação. Caso não haja uma conclusão, a camara pode ser dissolvida até às novas eleições