EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Vladimir Putin toma posse pela quarta vez do Kremlin

Vladimir Putin vai permanecer no Kremlin quase um quarto de século
Vladimir Putin vai permanecer no Kremlin quase um quarto de século Direitos de autor Sputnik/Aleksey Nikolskyi/Kremlin via REUTERS
Direitos de autor Sputnik/Aleksey Nikolskyi/Kremlin via REUTERS
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente russo vai assumir um quarto mandato no lugar e, no total, deverá manter-se no topo da política russa quase um quarto de século

PUBLICIDADE

Vladimir Putin vai tomar posse pela quarta vez como Presidente da Federação russa.

A cerimónia está marcada para esta segunda-feira ao meio dia (10:00 horas da manhã, em Lisboa).

Este será o quarto mandato para mais seis anos à frente do Kremlin e, no total, em 2024, Putin irá somar quase um quarto de século no topo da política russa.

O último dia do terceiro mandato foi passado em reuniões de conteúdo confidencial, informou Dmitry Peskov, o porta-voz do presidente.

Vladimir Putin foi reeleito a 18 de março, com mais de 75 por cento dos votos, num sufrágio com quase 70 por cento de participação, informou na altura a Comissão Eleitoral Central russa.

A recondução do presidente esta segunda-feira motivou uma onda de protestos na Rússia durante o fim de semana.

Impedido de participar nas eleições de março, por ter sido alvo de uma condenação que o próprio diz ter sido orquestrada pelo Kremlin, o líder da oposição Alexei Navalny foi, sábado, um dos mais seiscentos detidos pelas autoridades russas durante os protestos antigoverno.

Navalny acabou por ser libertado este domingo, mas terá de se apresentar em tribunal durante a semana para responder às acusações de desobediência à polícia e organização de manifestação ilegal.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Bill Browder já foi libertado

Putin ameaça a Alemanha: Rússia pode fornecer armas para atingir alvos ocidentais

Putin substitui Shoigu porque quer Ministério da Defesa "aberto à inovação"