Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Cinema palestiniano e saudita dá à costa em Cannes

Cinema palestiniano e saudita dá à costa em Cannes
Tamanho do texto Aa Aa

O cinema palestiniano e saudita deu à costa em Cannes.

Para palestinianos é o 18º filme a chegar ao certame desde 1987. Já sauditas estreiam-se este ano na Riviera Francesa.

Belle Donati, euronews: "Para muitos, Cannes é a passadeira vermelha mas, o festival não poderia existir sem a passadeira cor-de-rosa. É o mercado do cinema, onde tudo se resume a marcar presença. Para Palestinianos e Sauditas este ano é a primeira vez."

O realizador Mohanad Yaqubi diz que o cinema é uma forma de dar visibilidade à causa palestiniana e, por isso, ter a bandeira hasteada no festival é de enorme importância: "Tudo se resume a estar aqui representado. Os Palestinianos eram completamente invísiveis. Queremos contrariar isso. Para as pessoas que são invisíveis, a câmara é uma ferramenta que permite dar visibilidade. É, por isso, que os palestinianos têm esta relação especial com o cinema."

A cerca de 50 metros do pavilhão palestiniano, os sauditas festejam o primeiro ano em Cannes.

Durante 35 anos, o cinema na Arábia Saudita foi banido. Mas há cerca de um mês os filmes voltaram, finalmente, a passar frente aos olhos de cerca de meio milhar de sauditas.

Nove películas foram selecionadas para o mercado de cinema francês deste ano.

"Não sabia que podia ser realizador. Essa, não era uma opção na Arábia Saudita. Portanto, aprendi sozinho, li muito sobre cinema e fiz muitas experiências. Pegava numa câmara e ia gravar. É entusiasmante viver o espaço público na Arábia Saudita. O que está a acontecer no mundo e na forma como vêem o cinema, como o cinema está a mudar com o consumo digital... Na Arábia Saudita acontece o contrário porque as pessoas começam agora a sair", diz Ali Alkalthami, realizador saudita.

A Arábia Saudita e a Palestina não têm filmes na seleção oficial da 71ª edição do Festival de Cannes.

Mas têm esperança de que, os projectos que trouxeram para encontrar financiamento, os leve a desfilar na passadeira vermelha no próximo ano.