EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Epidemia de hepatite E chega ao norte da Namíbia

Epidemia de hepatite E chega ao norte da Namíbia
Direitos de autor 
De  António Oliveira e Silva com THE NAMIBIAN
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

As autoridades confirmam 15 mortos no país africano. Só na capital, foram registados cerca de 500 casos.

PUBLICIDADE

As autoridades namibianas confirmaram a morte de 15 pessoas por um surto de hepatite E. Quase todas as vítimas eram da região de Windhoek a capital do país africano, sendo a última da região de Omusati, na fronteira com Angola. Encontrava-se internada no Hospital Estatal de Oshakati.

A maioria dos casos tinha sido registada no centro da Namíbia - cerca de 500 casos na região de Windhoek, a maioria dos quais, em bairros de lata, mas também nos distritos de Havana, Goreangab, Hakahana e Greewell.

No norte, foram detetados também dezenas de casos de pessoas com os sintomas da doença - cerca de 40 permanecem observação e 10 casos estão já confirmados.

De acordo com o jornal The Namibian, a nova epidemia fica a dever-se ao Festival de Omagongo, que teve lugar em Tsandi, na região de Omusati, no fim-de-semana passado.

A hepatite E transmite-se através da água e dá-se em contextos de falta de higiene, muitas vezes em lugares sem estruturas de saneamento adequados. É mais comuns em países da Ásia meridional.

Entre os sintomas da hepatite E encontram-se a cor amarelada da pele, a urina escura, anorexia e sinais de cansaço extremo.

Em janeiro deste ano, o presidente da Câmara de Windhoek, Muesee Kazapua, anunciou investimentos para lutar contra um surto de hepatite E.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Vírus Nipah faz 17 mortos na Índia em menos de 3 semanas

OMS alerta para risco de epidemia de meningite C em África

Namíbia vai às urnas