Varsóvia quer base permanente dos EUA em território nacional

Varsóvia quer base permanente dos EUA em território nacional
De  António Oliveira e Silva com REUTERS
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

A Polónia envia uma mensagem clara a Moscovo, mas também à União Europeia. E está pronta a investir.

PUBLICIDADE

O Governo polaco entregou aos Estados Unidos uma proposta de acolhimento de uma base militar norte-americana, com caráter permanente, com soldados e as respetivas famílias, a criar em território nacional.

Varsóvia não esconde a vontade de tecer laços de proximidade com Washington, numa iniciativa que não deverá ser do agrado da Federação russa, mas que causa algum incómodo também em Bruxelas, quando a União Europeia procura melhorar as relações com a Rússia de Vladimir Putin.

Desde a entrada da Polónia na NATO/OTAN, há quase duas décadas, que a Polónia teme possíveis vontades expansionistas da parte de Moscovo, temores que se acentuaram depois da invasão da Península da Crimeia, no que é descrito pela Comunidade Internacional como uma anexação.

De acordo com o ministério da Defesa polaco, a proposta tem em conta "a clara e presente necessidade de uma divisão militar dos EUA na Polónia," assim como o compromisso polaco para contribuir com entre 1,5 a 2 mil milhões de dólares para o estabelecimento de instalações militares.

"Movimentos de tropas mais flexíveis"

Varsóvia diz também estar disponível para permitir "movimentos mais flexíveis para as forças dos Estados Unidos." Na proposta, são apresentados dados não só relativamente à base militar, mas também hospitais, escolas e instalações desportivas paras os militares e as suas famílias.

Existem atualmente unidades dos EUA e da NATO/OTAN em território polaco.

A Administração Trump pediu recentemente aos membros da NATO/OTAN para aumentar a proporção dos orçamentos nacionais dedicada à defesa para até 2% do Produto Interno Bruto (PIB), objetivo que a Polónia não alcançou nos últimos três anos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Timmermans retoma diálgo com governo ultraconservador da Polónia

Polónia e UE abrem a porta ao diálogo

"Breves de Bruxelas": investimento no WiFi e ultimato à Polónia