Última hora

Última hora

Giuseppe Conte, à segunda foi de vez

Em leitura:

Giuseppe Conte, à segunda foi de vez

Giuseppe Conte, à segunda foi de vez
Tamanho do texto Aa Aa

A cena até já tinha sido vista: Luigi di Maio e Matteo Salvini de acordo para indicar Giuseppe Conte para o cargo de primeiro-ministro italiano.

E tal como já tinha acontecido a semana passada, o jurista foi indigitado por Sergio Mattarella. Então, o governo de Conte não o chegou a ser depois do Presidente da República recusar um nome da lista governamental.

Desta vez, o governo tem pernas para andar e já foi aceite pelo Palácio do Quirinal. Entre as figuras centrais estão os líderes dos partidos da coligação, ambos com o cargo de vice-primeiro ministro: Di Maio, do Movimento 5 Estrelas, assume ainda a pasta do Desenvolvimento Económico e Trabalho e Salvini, da Liga, passa a liderar o Ministério do Interior.

Quanto ao nome que tinha estado na origem da recusa presidencial, o eurocético Paolo Savona, consegue mesmo um lugar no executivo. Não como ministro da Economia, cargo rejeitado pelo receio que empurrasse a Itália para fora do Euro, mas como ministro para... os Assuntos Europeus.

Sergio Mattarella desta vez não levantou objeções e colocou um ponto final a um impasse político que durava já desde as eleições de 4 de março. O novo governo tomará posse já esta sexta-feira... noventa dias depois das eleições.