Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Estado russo deve amortizar custos do Mundial

Estado russo deve amortizar custos do Mundial
Tamanho do texto Aa Aa

O Mundial de Futebol não é só uma aposta da Rússia para melhorar a imagem no resto do mundo, é também um importante estímulo à economia, com uma subida considerável nas vendas de vários produtos. Todos sabemos que ver futebol combina, muitas vezes, com beber uma, duas... ou mais cervejas. Este é um dos produtos com mais saída durante estes dias, como nos explica Doug Steele, proprietário de um bar: "Os números são completamente diferentes dos habituais. Encomendamos tanta cerveja para uma só noite como para um mês inteiro, numa situação normal".

O GUM, antigos grandes armazéns, agora um centro comercial de luxo em plena Praça Vermelha e um dos locais mais conhecidos da capital russa, conheceu também uma forte subida no movimento, graças à quantidade de fãs vindos de todo o mundo: "O movimento médio aumentou 80 por cento, em comparação com a mesma altura do ano passado. Com certeza que isso nos deixa muito contentes", diz o gerente, Teymuraz Guguberidze.

Segundo este artigo, a economia britânica pode também beneficiar do efeito do Mundial.

Os economistas estimam que a organização do Mundial vai beneficiar a economia russa, castigada pelas sanções internacionais e por um período de preços do petróleo em queda, mas o efeito vai ser pouco duradouro. Explica Vladimir Ageyev, perito em gestão desportiva na Universidade de Moscovo: "Temos alguns dados preliminares, segundo os quais o efeito do Mundial está estimado em 800 mil milhões de rublos, cerca de 11 mil milhões de euros. É um número preliminar, mas podemos dizer que pelo menos essa quantia vai ser amortizada".

Esta quantia corresponde sensivelmente ao que o Estado gastou com a organização, incluindo a construção dos novos estádios. Mas há pelo menos mais 11 milhões de euros que vão ter de ser gastos na manutenção.