Justiça alemã condena neonazi a prisão perpétua

Justiça alemã condena neonazi a prisão perpétua
De  Luis Guita
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A sobrevivente do grupo terrorista neonazi alemão NSU, Beate Zschäpe, foi condenada a prisão perpétua pelo assassinato de dez pessoas.

PUBLICIDADE

Beate Zschäpe, a sobrevivente do grupo terrorista neonazi alemão NSU (Nacional Socialista Clandestino) que assassinou nove imigrantes e um polícia na Alemanha, entre 2000 e 2007, foi condenada a prisão perpétua por um tribunal de Munique.

Após mais de cinco anos de processo, em que quatro colaboradores do grupo também foram julgados, o tribunal considerou Beate Zschäpe culpada pelos dez assassinatos perpetrados pelo grupo neonazi, apesar de Zschäpe não ser a autora material de nenhum deles.

Durante 13 anos Zschäpe e os dois neonazis Uwe Mundlos e Uwe Böhnhardt viveram clandestinamente como trio de extrema-direita. Mundlos e Böhnhardt mataram nove imigrantes e um policia, realizaram 15 assaltos e três atentados à bomba.

Os dois neonazis suicidaram-se em 2011 quando foram cercados pela polícia após o último assalto a um banco.

Os quatro colaboradores do grupo terrorista neonazi foram condenados a penas entre os dois anos e meio e os dez anos por crimes como associação a uma organização terrorista e fornecimento das armas com que o grupo de extrema-direita cometeu os dez assassinatos.

Zschäpe, de 43 anos, está desde há sete anos em prisão preventiva. Entregou-se à policia quatro dias após os dois companheiros se suicidarem e queimar o espaço que partilhavam em Zwickau.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Suspeitos de planearem ataque terrorista ao parlamento sueco foram detidos na Alemanha

Governo alemão acusa AfD de defender ideais nazis

Membros da AfD e da CDU terão encontrado neonazis em reunião secreta