EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Macron sobre Benalla: "O único responsável sou eu"

Macron sobre Benalla: "O único responsável sou eu"
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Emmanuel Macron ainda não se pronunciou publicamente sobre o caso Benalla, mas terá dito aos deputados do seu partido: "O único responsável sou eu", ao mesmo tempo que falava de traição.

PUBLICIDADE

O caso Benalla é, de longe, o maior imbróglio da presidência de Emmanuel Macron até ao momento. O presidente, que não tem falado, disse aos deputados do seu partido que o único responsável é ele e falou de traição. Mas, publicamente, outros vão fazendo o que podem para responder às questões dos franceses e da oposição, que fala de assunto de estado.

Esta terça-feira, foi a vez do primeiro-ministro,, Edouard Philippe, no parlamento:

" Uma deriva individual da parte deste encarregado de missão de segurança, não faz um assunto de Estado. As más companhias que foram evocadas ontem na comissão de inquérito pelo perfeito de polícia não fazem um assunto de Estado"

A oposição no parlamento não tem a mesma leitura. O presidente da UDI - União dos Democratas Independentes - , Jean Cristophe Lagarde, afirma: "Não creio que seja uma deriva individual, é um problema institucional porque este senhor trabalhava no Eliseu. Vimos noutros casos, no passado, com outros presidentes, que toda a gente se calava, toda a gente fazia vista grossa e todos cometiam abusos de poder".

O deputado do movimento Debout la France, Nicolas Dupont-Aignan, questiona: "Ele diz que reagiram rapidamente. Mas foi no mês de julho. O que se passou durante dois meses e meio?"

Perante a comissão de inquérito, o chefe de gabinete de Emmanuel Macron, Patrick Strozda, justificou a forma como tratou da questão:

"Os elementos de que dispunha no dia 2 de maio, conduziram-me a uma sanção que considerei adaptada e proporcionada. Compreendo perfeitamente que possam considerar que não é adaptada, mas assumo a minha decisão".

A decisão foi a de suspender Benalla de funções durante 15 dias, após ter sido filmado a espancar pessoas na manifestação do 1° de maio. Os media franceses revelaram entretanto que Benalla participou em missões de segurança do presidente durante o tempo em que supostamente estaria suspenso de funções.

Outro mistério em torno deste caso é o referente ao salário de Alexandre Benalla. Diversas fontes falam de 10 mil euros mensais; o chefe de gabinete do presidente desmentiu, mas recusou-se a revelar o montante.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Oposição mantém pressão sobre o governo francês

Campos Elísios transformam-se numa enorme mesa de piquenique

Três feridos em ataque à faca no metro de Lyon