EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Europa aperta o cerco aos véus

Europa aperta o cerco aos véus
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Vários países do velho continente interditaram o uso de véus que tapem o rosto de forma integral (burca e niqab) ou parcial. O debate voltou a reacender-se com as polémicas declarações do antigo chefe da diplomacia britânica, Boris Johnson

PUBLICIDADE

O uso da burca, que tapa até os olhos com recurso a uma rede, e do niqab, que cobre o corpo e a cabeça mas deixa os olhos à vista, gerou polémica em vários países da Europa e acabou por ser regulamentado.

Foi assim na Áustria, em 2017, onde uma lei impôs que os rostos devem estar visíveis do queixo até ao fim da testa.

No início deste mês entrou em vigor na Dinamarca a lei que proíbe o uso do véu islâmico integral que oculte o rosto, em lugares públicos. A infração vale uma multa de pouco mais de cem euros e em caso de repetição poderá superar os mil euros.

Antes a medida já tinha chegado a França. Quem desafiar a interdição do uso do véu integral arrisca uma multa de 150 euros.

Seguiu-se a Bélgica, onde a legislação impede o uso de qualquer artigo que obscureça a identidade.

A Holanda impôs regras, como no país vizinho, mais tarde. A burca e o niqab estão proibidos em transportes públicos, instituições de ensino, hospitais e edifícios governamentais, mas a interdição não se aplica às ruas. Também é proibido circular com máscaras de esqui.

A Alemanha adotou uma lei que proíbe parcialmente o uso do véu integral. Aplica-se aos funcionários públicos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Muro da Trégua" na Aldeia Olímpica apela à paz no mundo

Presidente da Câmara de Paris nada nas águas do rio Sena

EX-membro do Exército de Libertação do Kosovo condenado a 18 anos de prisão